IMG_1104_edited.jpg

daiana santos

Olá! Eu sou a Daiana Santos, mas pode me chamar de Dai. Vim da periferia do Morro Santana, criada em uma casa de madeira com um banheiro do lado de fora, junto de minha mãe e irmão.

Pessoas como eu, mulheres, negras, periféricas e LGBTIs não costumam ocupar os espaços. Somos os esquecidos, os invisibilizados. De tanto não se ver, a gente pensa que a política não é pra gente. Mas a real é que ela tá em tudo. No ônibus que atrasa, na casa que alaga, na falta de vaga na creche, na saúde precária, no prato vazio e na grana que mal dá pra sobreviver. 

 A minha mãe, a Dona Odete, empregada doméstica, emprestava os livros das filhas das patroas pra eu poder estudar. Com muito esforço, depois de 15 anos trampando com tudo que é bico, juntei uma grana e entrei no Ensino Superior. Assim, me tornei Sanitarista e Educadora Social, trabalhando principalmente com mulheres em situação de violência e a população em situação de rua.

Foram através delas que entendi a urgência de lutarmos por políticas públicas que melhorem a nossa vida.  Além disso, criei o Fundo das Mulheres, que atende principalmente mães solo em situação de vulnerabilidade social.

Tu que tá aí, quero te dizer que a gente não pode parar, porque a luta transforma a vida. Põe roupa no corpo, comida no fogão e água na torneira. Política é pra gente, porque é sobre a gente. Nunca foi sobre eles. Sempre foi sobre nós. Vamos juntas, juntos e justes nessa!